Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
11/09: Especial Novena da Padroeira

11/09/2010

Hoje celebramos o sexto dia da Novena e foi com imenso prazer que recebemos em nossa paróquia o Pe Ernesto, que durante tanto tempo foi pároco em nossa comunidade.

O tema abordado na homilia de hoje foi o Grande Amor de Deus para conosco, suas várias facetas e como ele se manifesta em nossa vida. O Evangelho narra a parábola do filho pródigo onde Jesus ilustra o nosso comportamento irresponsável como seres humanos e em contrapartida o comportamento amoroso e acolhedor de Deus quando nós cometemos o pecado.

O Padre se referiu a duas facetas muito importantes do amor de Deus, citou duas formas de amor que são a forma "HESED" e "HISHMA", ambas as palavras provém do Hebraico que é a língua em que foi escrito o Antigo Testamento. A primeira forma de amor é "HESED", significa um amor relacionado a  bondade e fidelidade. Este por sí é utilizado para designar também as alianças que Deus fez com seu povo, o povo de Israel e a maneira que eles a respeitavam e seguiam. A expressão "HISHMA" por sua vez refere-se ao amor materno, incondicional. Ou seja, Deus nos ama com amor de Pai, mais rigoroso, mais ligado a fidelidade que seria o "HESED", mas também nos ama de forma maternal, infinita, incondicional que é o "HISHMA". Com isso percebemos um DEUS que é capaz de nos amar de qualquer forma, Ele não nos quer pecadores, mas nos aceita como somos e nos acolhe com imensa alegria quando arrependidos pedimos para voltar, quando arrependidos percebemos que na casa de nosso Pai tudo é melhor, pois é ali que está todo o sentido do nosso viver.

Padre Ernesto nos fala sobre o grande amor de Jesus nas atitudes com relação os pecadores que se faziam presentes perto dele. Foi assim com Maria Madalena, a prostituta, a mulher adúltera, que seria apedrejada sem a intervenção de Jesus, e assim com tantos outros que foram acolhidos por este amor incondicional de Jesus. Além de perdoar os pecados, Jesus se fazia presente no meio do povo e até comia com os mendigos que viviam ali perto dele. Estas coisas eram inaceitáveis pelas leis Judaicas da época e escandalizava o povo que vivia ali, principalmente o grupo dos fariseus, que por tentarem seguir a risca todas as leis, se sentiam mais importantes do que o restante da população. Eles eram a elite judaica da época, mas, com tamanha arrogância que Jesus muitas vezes ia contra eles, foi o próprio caso que já citamos da mulher adúltera. Quem queria apedrejá-la? O povo, e entre eles os fariseus, mas, no final das contas quem a apedrejou? Ninguém, pois reconheceram serem também pecadores. E para nós hoje, ser cristão implica sabermos nos reconhecer como pecadores, fazendo o máximo para não pecarmos mais, mas, principalmente, precisamos amar nossos irmãos com estas duas formas de amor, pois é através do amor, e somente pelo amor que conseguiremos de fato chegar a casa paterna, e quando isto acontecer, com certeza este Deus que é misericórdia estará nos esperando de braços abertos assim como o pai da parábola citada no Evangelho.

Para conseguirmos participar plenamente deste amor de Deus, precisamos seguir os passos de Maria, pois, foi ela um grande exemplo de ser-humano quee soube amar na dor e na alegria. Soube ser fiel desde o dia em que disse seu sim, e permaneceu fiel, acreditando e seguindo o que a Palavra de Deus falava em seu coração. Que Maria interceda a Deus por nós, para que saibamos buscar este caminho do amor, hoje e sempre! Amém.

Organização: PASCOM (Pastoral da Comunicação)

Voltar

 
| Política de privacidade © 2009 Paróquia Nossa Senhora da Soledade. Todos os direitos reservados.