Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
BATISMO, PRA QUÊ

17/01/2011
A Liturgia deste final de semana nos traz um tema vital para a fé em que professamos. Ela é toda voltada para o Batismo de Cristo, o que consequentemente nos remete ao nosso próprio Batismo e a maneira que devemos nos portar como Filhos de Deus. O Batismo é o Sacramento da iniciação Cristã, é o que nos liga profundamente a Deus criador e nos faz, não somente criaturas, mas filhos deste Deus tão amável. Este projeto filial nos faz, antes de tudo, responsáveis por manter viva a Igreja Corpo Místico de Cristo. 

     Nos tornamos responsáveis porque, ao sermos batizados, morremos para a vida do pecado e ressuscitamos a uma nova vida em Cristo. É através do Batismo que nos tornamos propensos a abdicarmos do pecado, pois recebemos a graça que vem de Deus, recebemos o dom filial que nos torna pessoas melhores, tornando-nos assim, suscetíveis a optar pelo bem e renegar o mal.

     O Batismo ainda nos traz a responsabilidade de sermos: Sacerdotes, Profetas e Reis, e estas nos são concedidas com a graça divina. Mas é preciso que saibamos o verdadeiro sentido destas palavras, para assim, vivermos plenamente nosso Batismo.

     Quando dizemos que somos sacerdotes, significa que devemos nos impulsionar a seguir o sacerdócio de Cristo, ou seja, seguirmos seus exemplos para conseguirmos uma fé viva. O sacerdócio de Jesus foi de doação e serviço.

     O profeta é aquele que denuncia o que está errado e anuncia uma Boa Nova, ele não fala por si, mas em nome de Deus. Como São Paulo diz em sua carta aos Gálatas 2,20 "Não sou eu quem vive, mas é Cristo que vive em mim", ser profeta é deixar-se envolver por este Cristo e não agir por si, mas por Ele.

     Ser rei está bem longe de ser dominador, mas, o reinado de Cristo implica o Serviço, isto significa que, enquanto batizados precisamos servir os irmãos, servir a Igreja e servir ao Evangelho de Cristo.

     Na liturgia deste final de semana percebemos a vontade de Cristo de ir se batizar. O Batismo realizado por João Batista era um Batismo de penitência, onde o batizando mostrava querer renegar ao pecado e se purificar. Mas Jesus não tinha pecado algum, porque então iria querer o Batismo de penitência? Aí percebemos de maneira eficaz o reinado de Cristo. O Batismo foi, certamente uma maneira de mostrar sua humanidade, Ele quiz se mostrar como um de nós (o que de fato era). O Evangelista Marcos diz em sua narração que "uma voz veio dos céus e disse: Tu és meu filho amado, em ti me comprazo" (Mc 1,11), esta voz vem de Deus, e não é apenas para Jesus que Ele se revela tão apaixonado, mas, a cada batizado Deus está nos céus nos dizendo "Este é meu filho muito amado". É preciso que nós, enquanto batizados, correspondamos a este amor de Deus, e a maneira exata de o fazer é seguir os ensinamentos vindos da Sagrada Escritura e acolhidos pela Igreja.

     Corresponder ao amor de Deus não é uma tarefa fácil, mas, a tentativa sincera nos torna cada vez mais humanos e, quanto mais vivemos nossa humanidade, mais próximos deste Deus estaremos, mas para que isso ocorra de maneira singular em nossa vida é preciso que deixemos Cristo viver em nós, para assim, revestidos da Santíssima Trindade, possamos viver plenamente o sentido dos sacramentos, em especial ao Batismo.

Organização PASCOM (Pastoral da Comunicação) - Dicas ou sujestões, entrem em contato conosco: pascomsoledade@yahoo.com.br

Voltar

 
| Política de privacidade © 2009 Paróquia Nossa Senhora da Soledade. Todos os direitos reservados.