Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
RETIRO DE PRESBÍTEROS 2009

30/06/2009

 

 

A MISSÃO E A ESPIRITUALIDADE MISSIONÁRIA - 30 JUNHO 2009 9h

O Documento Ad Gentes do Vaticano II completou 40 anos. Ele nasceu numa época em que a missão era uma tarefa de poucos na Igreja. Missão era incumbência de Prefeituras Apostólicas, de congregações missionárias, grupos ou pessoas missionárias. Estes é que partiam em missão. Missão era uma noção territorial. O Concílio modifica este pensamento. Mostra que não é a Igreja que tem uma missão mas a Missão é que tem uma Igreja.

 Missio Dei (missão de Deus)

A missão nasce no mistério de Deus que é amor. Este amor se expande na geração do Vebo.  A missão nasce fora do tempo na Trindade. Deus é trino e nele está a missão. Deus se expande no amor. Seu amor se expande na Criação do cosmo e da natureza. Através da natureza podemos contemplar a Deus sem cair num panteísmo. A natureza não é Deus mas fruto da ação amorosa de Deus. Lembramos do texto bíblico que diz: "A natureza aguarda como que em dores de parto a manifestação dos filhos de Deus".

Redenção

A missão se expande na redençao trazida por Jesus. Jesus envia-nos em missão. Faz parte da igreja a dimensão missionária. O batismo nos faz discípulos missionários, portanto ser bispo, padre é ser missionário. A missão da Igreja é sempre renovada e nunca tem seu término. Sempre devemos levar o evangelho a todas as pessoas. A Igreja é missionária porque a Trindade é missionária.

Documento de Aparecida

Neste documento vemos impregnado a teologia do Concílio Vaticano II. Aparecida é aplicação do documento conciliar,  Ad Gentes, também da Rendentoris Missio e Evangelli Nuttiandi. Estes documentos são como que alicerce do Documento de Aparecida. É dando a fé que a igreja se renova e se fortalece. A Missão é uma renovação da própria Igreja. Precisamos nos tornar cada vez mais missionários. Há uma urgência da missão, pois, o mundo está em constantes guerras. Vidas são ceifadas. O mais complicado é quando homens invertem a religião. Em vez de se obedecer a Deus quer que Deus observe os caprichos dos homens. Fazer um Deus obediente ao homem. Este não é o caminho da religião.

Ordem Missionária de Jesus

A Missionariedade é uma busca profunda do amor a Deus. É a busca de Deus que nos movimenta. O missionário busca a Deus no coração dos homens. Santa Teresinha chamada de padroeira das missões questinava sobre o seu lugar na Igreja. Lembremos do texto de Santa Teresinha no volume IV da Liturgia das Horas. Santa Teresinha meditando sobre a sua função na Igreja pode verificar que ela está no Coração da Igreja. Sendo assim o missionário busca a Deus na ação, na oração e na contemplação. Temos um método e a finalidade da missão que é o Amor Trinitário. O missionário deverá entrar no movimento da Santíssima Trindade. Façamos da celebração diária da Eucaristia a forma de entrar no Coração de Deus. Missão se torna contemplação e disposição para mergulhar o Projeto de Deus.

Consequências do Movimento Missionário:

Missão não é invenção do Homem

A missão não é invenção humana pois o protagonista da missão é o Espírito Santo. A iniciativa de Deus acompanha a ação missionária. A ação de Deus antecipa a visita do missionário. Ao encontrar com as pessoas o missionário observa que Deus já está agindo no coração deles.

Deus conduz a Missão

Deus leva ao bom termo a atividade da missão. O missionário é um semeador:

a- é Pastor - ele está a cuidar das ovelhas que estão no curral e precisam de alimento e água.                 É o P A S T O R E I O:

b-é Semeador - é uma dimensão de cuidado para fora do curral. É sair para semear em áreas que se tornem pastagens. Ele semea mas depende da ação da Terra e do tempo, das chuvas, etc;  É a S E M E A D U R A

c- é Pescador - precisamos nos lançar em alto mar. Nossa alimentação também depende desta pesca, pois, se não pescamos nada a consequência será passar fome neste dia; è a P E S C A

O mundo espera a semeadura da Palavra de Deus. O missinário precisa ser aquele que pesca em águas mais profundas correndo o risco de não pescar nada mas ele precisa ir. O mundo está em constantes agitações. Há lugares em que existem guerras mas o missionário permanece lá com o povo e quer proteger o povo. Diante da morte do povo como por exemplo em Angola, por forças da UNIPA, sabemos que Deus está a olhar toda esta situação. Deus acompanha a missão. Deus é quem fará a justiça.

 

Voltar

 
| Política de privacidade © 2009 Paróquia Nossa Senhora da Soledade. Todos os direitos reservados.